• Boeing suspende temporariamente a produção na fábrica de Puget Sound em resposta à escalada da pandemia da COVID-19

    • Boeing focada em realizar suspensão temporária, segura e disciplinada das operações
    • Parada temporária das operações durará 14 dias, com início em 25 de março

    25 de março de 2020 - A Boeing anunciou a suspensão temporária da produção em suas instalações na área de Puget Sound, tendo em vista a situação de emergência no estado de Washington, onde a fábrica fica localizada, e a avaliação contínua da empresa da propagação acelerada do coronavírus na região. Essas ações estão sendo tomadas para garantir o bem-estar dos colaboradores, de suas famílias e da comunidade local, e incluirão uma paralisação disciplinada que atenda às necessidades dos clientes.

    A Boeing planeja começar a reduzir a atividade de produção hoje, 23 de março, e prevê que a suspensão completa dessas operações comece na quarta-feira, 25 de março, nas unidades na área de Puget Sound. A suspensão da produção durará 14 dias, durante os quais a Boeing continuará monitorando as orientações e ações do governo sobre a COVID-19 e seus impactos associados em todas as áreas da empresa. Durante esse período realizaremos atividades adicionais de limpeza profunda nas unidades afetadas e estabeleceremos critérios rigorosos para o retorno ao trabalho.

    "Esta etapa necessária protege nossos colaboradores e as comunidades onde eles trabalham e vivem", disse o presidente e CEO da Boeing, Dave Calhoun. "Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com as autoridades de saúde pública e estamos em contato com nossos clientes, fornecedores e outros públicos de interesse que são afetados por essa suspensão temporária. Lamentamos a dificuldade que isso causará a eles, assim como a nossos colaboradores, mas é vital manter a saúde e a segurança de todos aqueles que sustentam nossos produtos e serviços, e ajudar nos esforços nacionais para combater a disseminação da COVID-19 ", acrescentou Calhoun.

    Os colaboradores da produção deverão cumprir suas jornadas hoje e receberão orientações sobre sua função no processo de paralisação.

    Os colaboradores da área de Puget Sound que podem trabalhar em casa continuarão a fazê-lo. Aqueles que não puderem trabalhar remotamente receberão férias remuneradas pelos 10 dias úteis iniciais da suspensão – o dobro da política da empresa – que fornecerá cobertura para o período de suspensão de 14 dias corridos.

    "Manteremos nossa atenção nos colaboradores, clientes e cadeia de suprimentos enquanto continuamos a avaliar a situação em evolução", afirmou Calhoun. "Este é um momento sem precedentes para organizações e comunidades em todo o mundo".

    Quando a suspensão for revogada, a Boeing adotará uma abordagem disciplinada para retomar a produção, com foco na segurança, qualidade e cumprimento dos compromissos com o cliente. Este será um passo fundamental para permitir que o setor aeroespacial se recupere.

    A Boeing está trabalhando para minimizar o impacto dessa suspensão na capacidade da empresa de oferecer e apoiar seus programas espaciais e de defesa e garantir a disponibilidade para que nossos clientes no setor de defesa executem missões indispensáveis. A Boeing estará em estreita colaboração com esses clientes nos próximos dias para desenvolver planos que garantam que eles recebam suporte durante esse período. As operações críticas de distribuição para apoio de companhias aéreas, governos e clientes da área de manutenção, reparo e reforma (MRO, na sigla em inglês) continuarão.