• Boeing divulga resultados do primeiro trimestre

    • Resultados financeiros sofrem impacto significativo da COVID-19 e da paralisação das operações do 737 MAX
    • Receita de US$ 16,9 bilhões, prejuízo por ação GAAP de (US$ 1,11) e prejuízo por ação principal (não GAAP) * de (US$ 1,70)
    • Fluxo de caixa operacional de (US$ 4,3) bilhões; caixa e títulos negociáveis de US$ 15,5 bilhões
    • Carteira de pedidos total de US$ 439 bilhões, incluindo mais de 5.000 aviões comerciais

    Chicago,  29 de abril de 2020 - 

    Tabela 1. Resumo de Resultados FinanceirosPrimeiro Trimestre
    (Em milhões de dólares, exceto dados por ação)20202019Alteração
    Receitas $16,908 $22,917 (26)%
    GAAP
    (Prejuízos) / Lucros de operações ($1,353) $2,350 NM
    Margem Operacional (8.0)% 10.3% NM
    (Prejuízos) / Lucros Líquidos (641) $2,149 NM
    (Prejuízos) / Lucros por ação ($1.11) $3.75 NM
    Fluxo de caixa operacional ($4,302) $2,788 NM
    Não-GAAP*
    (Prejuízos)/Lucros operacionais principais ($1,700) $1,986 NM
    Margem Operacional principal (10.1)% 8.7% NM
    (Prejuízos) / Lucros por ação principais  ($1.70) $3.16 NM
    *Medida Não GAAP; definições completas de medidas de não GAAP da Boeing estão na página 6, "Divulgações de Medidas Não GAAP ".

    A Boeing [NYSE: BA] registrou receita no primeiro trimestre de US$ 16,9 bilhões, prejuízo por ação GAAP de (US$ 1,11) e prejuízo por ação principal (não-GAAP) * (US$ 1,70), refletindo principalmente os impactos da COVID-19 e a paralisação das operações do 737 MAX (Tabela 1). A Boeing registrou um fluxo de caixa operacional de (US$ 4,3) bilhões.
    "A pandemia da COVID-19 está afetando todos os aspectos de nosso negócio, incluindo a demanda de clientes de companhias aéreas, a continuidade da produção e a estabilidade da cadeia de suprimentos", disse o presidente e CEO da Boeing, David Calhoun. "Nosso foco principal é a saúde e a segurança de nossa equipe e nossas comunidades, enquanto adotamos medidas difíceis, mas necessárias, para enfrentar essa crise de saúde sem precedentes e nos adaptar a um mercado em mudança".
    À medida que a pandemia continua a reduzir o tráfego de passageiros das companhias aéreas, a Boeing vê um impacto significativo na demanda por novos aviões comerciais e serviços, com as companhias aéreas postergando as compras de novas aeronaves, retardando o cronograma de entrega e adiando a manutenção eletiva. Para alinhar os negócios à nova realidade do mercado, a Boeing está tomando várias ações que incluem a redução das taxas de produção de aviões comerciais. A empresa também anunciou uma reestruturação organizacional e de liderança para otimizar papéis e responsabilidades, e planeja reduzir os níveis gerais de pessoal com um programa de demissão voluntário e ações adicionais para a força de trabalho, conforme necessário.
    A Boeing também tomou medidas para gerenciar a liquidez no curto prazo, uma vez que utilizou um mecanismo de empréstimo a prazo; reduziu custos operacionais e gastos discricionários; prorrogou a pausa existente para a recompra de ações e suspendeu dividendos até novo aviso; reduziu ou diferiu pesquisa e desenvolvimento e dispêndios de capital; e eliminou o pagamento para o CEO e Chairman para o ano. O acesso à liquidez adicional será fundamental para que a Boeing e o setor de fabricação aeroespacial alcancem a recuperação e a empresa está explorando ativamente todas as opções disponíveis. A Boeing acredita que poderá obter liquidez suficiente para financiar suas operações.
    "Embora a COVID-19 esteja exercendo uma pressão sem precedentes em nosso negócio, continuamos confiantes em nosso futuro a longo prazo", disse Calhoun. "Continuamos a apoiar nossos clientes de defesa em suas missões críticas de segurança nacional. Estamos progredindo em direção à retomada com segurança da operação do 737 MAX e estamos promovendo segurança, qualidade e excelência operacional em tudo o que fazemos todos os dias. O setor de transporte aéreo sempre foi resiliente, nosso portfólio de produtos e tecnologia está bem posicionado e estamos confiantes de que sairemos da crise e teremos sucesso novamente como líderes de nossa indústria ".

    Tabela  2. Fluxo de caixaPrimeiro Trimestre
    (Milhões)20202019
    Fluxo de caixa operacional ($4,302) $2,788
    Menos adições de propriedade, planta e equipamento ($428) ($501)
    Fluxo de caixa livre* ($4,730) $2,287
    *Medida Não GAAP; definições completas de medidas de não GAAP da Boeing estão na página 6, "Divulgações de Medidas Não GAAP ".

    O fluxo de caixa operacional foi de (US$ 4,3) bilhões no trimestre, refletindo principalmente o impacto da paralisação das operações do 737 MAX e da COVID-19, bem como do cronograma de recebimentos e despesas (Tabela 2).

    Tabela 3. Caixa , Caixa, Títulos e Valores Mobiliários e saldos devedoresFinal do trimestre
    (Bilhões)1º TRI 204º TRI 19
    Caixa $15.0 $9.5
    Títulos e Valores Mobiliários 1 $0.5 $0.5
    Total $15.5 $10.0
    Saldos devedores:
    The Boeing Company, livre de empréstimos entre empresas para BCC $36.9 $25.3
    Boeing Capital, incluindo empréstimos entre empresas $2.0 $2.0
    Dívida total consolidada $38.9 $27.3
    1 Títulos e valores mobiliários consistem principalmente de depósitos a prazo devidos dentro de um ano classificados como "investimentos de curto prazo."

    O caixa e os investimentos em títulos negociáveis aumentaram para US$ 15,5 bilhões, em comparação com US$ 10,0 bilhões no início do trimestre, principalmente devido ao aumento do saldo da dívida (Tabela 3). A dívida foi de US$ 38,9 bilhões, um aumento em relação aos US$ 27,3 bilhões no início do trimestre, principalmente devido à utilização de um mecanismo de crédito a prazo, parcialmente compensada por amortizações de dívida.
    A carteira total de pedidos da empresa no final do trimestre foi de US$ 439 bilhões.

    Resultados por segmento

    Aviões comerciais

    Tabela  4. Aviões comerciaisPrimeiro Trimestre
    (Em milhões de dólares)20202019Alteração
    Entregas de aviões comerciais 50 149 (66)%
    Receitas $6,205 $11,822 (48)%
    (Prejuízos) / Lucros de operações ($2,068) $1,173 NM
    Margem Operacional (33.3)% 9.9% NM

    A receita do primeiro trimestre para o segmento de Aviões Comerciais foi de US$ 6,2 bilhões, refletindo uma redução nas entregas impulsionada pela paralisação das operações do 737 MAX, bem como os impactos da COVID-19 (Tabela 4). A margem operacional do primeiro trimestre caiu para (33,3%) devido ao menor volume de entregas, US$ 797 milhões em custos de produção anormais em virtude da suspensão temporária da produção do 737 MAX, uma cobrança de US$ 336 milhões relacionada aos custos de reparo do componente de revestimento da estrutura do 737 Next Generation (pickle fork), margens mais baixas do 787 devido principalmente à COVID-19 e US$ 137 milhões em custos de produção anormais resultantes da suspensão temporária das operações em Puget Sound em resposta à COVID-19.
    A COVID-19 afetou adversamente o programa 737 devido a um aumento na taxa de produção mais lento do que o planejado anteriormente, impulsionado pela incerteza no setor de companhias aéreas comerciais. Para refletir os impactos da COVID-19 no ambiente de demanda, a produção de aeronaves 737 MAX será retomada com taxas reduzidas em 2020, à medida que o cronograma e as condições de retomada das operações forem mais bem compreendidos e aumentem gradualmente para 31% durante 2021, com aumentos graduais adicionais para acompanhar a demanda de mercado. Os custos estimados de produção anormal resultantes da suspensão temporária da produção do 737 MAX aumentaram em aproximadamente US$ 1 bilhão devido a premissas atualizadas da taxa de produção, elevando o total estimado para aproximadamente US$ 5 bilhões. Não houve alterações relevantes nas estimativas de possíveis concessões e outras considerações para os clientes relacionadas à paralisação das operações do 737 MAX.
    O segmento de Aviões Comerciais atualizou suas premissas de taxa de produção para refletir os impactos da COVID-19 em suas operações e perspectivas de demanda, e continuará a avaliá-las permanentemente. A taxa de produção do 787 será reduzida de 14 por mês, para 10 por mês em 2020 e gradualmente reduzida para 7 por mês até 2022. A taxa de produção combinada do 777 / 777X será reduzida para 3 por mês em 2021. No momento, as premissas de taxa de produção não foram alteradas para os programas 767 e 747.
    O segmento de Aviões Comerciais entregou 50 aviões durante o trimestre, incluindo 29 787s. Ele também conquistou um pedido de 12 aeronaves 787 para a All Nippon Airways e produziu o 1000º 787 na Boeing South Carolina. A carteira de pedidos de aviões comerciais incluiu mais de 5.000 aviões avaliados em US$ 352 bilhões.

    Defesa, Espaço e Segurança

    Tabela  5. Defesa, Espaço e SegurançaPrimeiro Trimestre
    (Em milhões de dólares)20202019Alteração
    Receitas $6,042 $6,587 (8)%
    Lucros de Operações ($191) $852 NM
    Margem Operacional (3.2)% 12.9% NM

    A receita de Defesa, Espaço e Segurança para o primeiro trimestre recuou para US$ 6,0 bilhões, impulsionada principalmente por uma cobrança do KC-46A Tanker (Tabela 5). A margem operacional do primeiro trimestre caiu para (3,2%), principalmente devido a um encargo antes de impostos de US$ 827 milhões para o KC-46A Tanker, dos quais US$ 551 milhões foram motivados pelos custos associados ao acordo assinado em abril com a Força Aérea dos EUA para desenvolver e integrar um novo Sistema de Visão Remota, enquanto os custos restantes refletem ineficiências de produtividade e interrupção de fábrica relacionada à COVID-19. Vários outros programas também foram impactados pela COVID-19, reduzindo ainda mais a margem no trimestre.
    Durante o trimestre, o segmento de Defesa, Espaço e Segurança recebeu um pedido para 18 aeronaves de patrulha marítima P-8A Poseidon, bem como um contrato para desenvolver um protótipo SB> 1 DEFIANT ™ para o programa futuro Long Range Assault Aircraft (aeronaves de ataque de longo alcance) do Exército dos EUA. O segmento também concluiu a Análise do Projeto do Sistema para o MQ-25.
    A carteira de pedidos em Defesa, Espaço e Segurança foi de US$ 64 bilhões, dos quais 28% representam pedidos de clientes fora dos EUA.

    Global Services

    Tabela 6. Global ServicesPrimeiro Trimestre
    (Em milhões de dólares)20202019Alteração
    Receitas $4,628 $4,619
    Lucros de Operações $708 $653 8%
    Margem Operacional 15.3% 14.1% 1.2 Pts

    A receita de Global Services no primeiro trimestre foi de US$ 4,6 bilhões, refletindo um volume maior de serviços governamentais, amplamente compensado pelo volume menor de serviços comerciais devido à COVID-19. (Tabela 6) A margem operacional do primeiro trimestre aumentou para 15,3%, principalmente devido ao desempenho favorável de serviços governamentais.
    Durante o trimestre, o segmento Global Services recebeu uma modificação do contrato de serviços de logística integrada e de ativação de site do P-8A da Marinha dos EUA e do governo da Austrália, e garantiu um contrato de logística, componentes e serviços para a frota AH-64 Apache para o Exército dos EUA. Na Singapore Airshow, Global Services anunciou vários contratos de serviços consumíveis e reutilizáveis, bem como acordos de soluções digitais com várias companhias aéreas da Ásia-Pacífico.

    Informações financeiras adicionais

    Tabela  7. Informações financeiras adicionaisPrimeiro Trimestre
    (Em milhões de dólares) 20202019
    Receitas
    Boeing Capital $65 $66
    Itens não alocados, eliminações e outros ($32) ($177)
    Lucros de Operações
    Boeing Capital $24 $20
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS $347 $364
    Outros itens não alocados e eliminações ($173) ($712)
    Outras receitas líquidas $112 $106
    Juros e encargos da dívida ($262) ($123)
    Alíquota efetiva de imposto 57.4% 7.9%

    No final do trimestre, o saldo líquido do portfólio da Boeing Capital era de US$ 2,2 bilhões. A receita de outros itens e eliminações não alocados aumentou principalmente devido ao cronograma das eliminações para entregas de aeronaves entre empresas. A mudança nos ganhos de outros itens e eliminações não alocados deve-se principalmente a uma despesa menor de compensação diferida e a um encargo de imparidade de financiamento do cliente, realizado no primeiro trimestre de 2019.
    As despesas com juros e dívidas aumentaram devido a saldos de dívidas mais elevados. A alíquota efetiva de imposto no primeiro trimestre reflete os benefícios fiscais relacionados à provisão para recuperação de perdas operacionais líquidas de 5 anos da Lei de Auxílio, Socorro e Assistência Econômica do Coronavírus (CARES, na sigla em inglês), bem como o impacto de prejuízos antes de impostos.

    Divulgações de Medidas Não GAAP
    Nós complementamos o relatório de nossas informações financeiras, determinado de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos dos EUA (GAAP), com certas informações financeiras não GAAP. As informações financeiras não GAAP apresentadas excluem certos itens significativos que podem não ser indicativos de, ou estão relacionados com os resultados de nossas operações comerciais em curso. Acreditamos que estas medidas não GAAP proporcionam aos investidores esclarecimentos adicionais sobre o desempenho contínuo de negócio da empresa. Estas medidas não GAAP não devem ser consideradas isoladamente ou como um substituto para as medidas GAAP correspondentes, e outras empresas podem definir essas medidas de forma diferente. Nós estimulamos os investidores a revisar as demonstrações financeiras e relatórios publicamente arquivados na sua totalidade e não confiar em uma única medida financeiro único. As seguintes definições são fornecidas:
    (Prejuízos)/Lucros operacionais principais, Margem Operacional principal e (Prejuízos) / Lucros por ação principais
    (Prejuízos)/Lucros operacionais principais é definido como (Prejuízos)/Lucros de operações GAAP excluindo ajuste de custo de serviço FAS/CAS. O ajuste de custo de serviço FAS/ representa a diferença entre os custos do serviço de pensão e pós-aposentadoria do FAS, calculados de acordo com o GAAP, e os custos alocados aos segmentos de negócios. A Margem Operacional Principal é definida como (Prejuízos)/Lucros principais expressos como percentagem da receita. Os (Prejuízos)/Lucros principais por ação são definidos como (Prejuízos)/Lucros por ação diluídos GAAP, excluindo o impacto dos (Prejuízos)/Lucros líquidos por ação do ajuste de custo de serviço FAS/CAS e despesas não operacionais com pensão e pós-aposentadoria. As despesas não operacionais com pensão e pós-aposentadoria representam os componentes dos custos líquidos dos benefícios periódicos, além do custo do serviço. Os custos de pensão, compreendendo os custos de serviços e serviços prévios calculados de acordo com o GAAP, são alocados para os negócios de Aviões Comerciais e BGS que oferecem suporte a clientes comerciais.
    Os custos de pensão alocados aos negócios BDS e BGS que apoiam clientes governamentais são calculados de acordo com as Normas de Contabilidade de Custos do Governo dos EUA (CAS), que empregam pressupostos atuariais e convenções contabilísticas diferentes do GAAP. Os custos CAS são alocáveis aos contratos governamentais. Outros custos de benefícios pós-aposentadoria são alocados a todos os segmentos de negócios baseados no CAS, que são geralmente baseados em benefícios pagos. A Administração usa (Prejuízos)/Lucros operacionais principais, Margem Operacional Principal e Prejuízos)/Lucros por ação principais por ação para fins de avaliação e previsão do desempenho dos negócios subjacentes. A Administração acredita que essas medidas de lucros/prejuízos principais fornecem aos investidores mais informações sobre o desempenho operacional, pois excluem custos de pensão e pós-aposentadoria não alocados, que representam principalmente custos gerados por fatores de mercado e custos não alocáveis aos contratos governamentais. Uma reconciliação entre as medidas GAAP e não-GAAP é fornecida na página 13.

    Fluxo de caixa livre

    Fluxo de Caixa Livre é definido como Fluxo de Caixa Operacional GAAP, sem despesas de capital para adições de propriedades, plantas e equipamentos. A administração acredita que o Fluxo de Caixa Livre oferece aos investidores uma perspectiva importante sobre o caixa disponível para acionistas, pagamento de dívida, e aquisições depois de fazer os investimentos de capital necessários para apoiar as operações de negócios em andamento e criar valor a longo prazo. O Fluxo de Caixa Livre não representa o Fluxo de Caixa residual disponível para despesas discricionárias, pois ele exclui certas despesas obrigatórias, tais como pagamento de dívidas que vão vencer. A Administração utiliza a Fluxo de Caixa Livre como uma medida para avaliar tanto o desempenho dos negócios quanto a liquidez geral. A Tabela 2 apresenta uma reconciliação entre Fluxo de Caixa Livre e Fluxo de Caixa Operacional GAAP.

    Cautela com relação às Declarações Admonitórias

    Este comunicado de imprensa contém "declarações admonitórias" dentro do significado da lei de Reforma de Títulos Privados de 1995. Palavras como "pode", "deveria", "espera", "pretende", "projeta", "planeja", "acredita", "estima", "tem como intenção", "prevê", e expressões similares são usadas para identificar essas declarações admonitórias. Exemplos de declarações admonitórias incluem declarações relativas à nossa futura condição financeira e resultados operacionais, bem como quaisquer outras declarações que não se relacionam diretamente a qualquer fato histórico ou atual. As declarações admonitórias são baseadas em nossas expectativas e suposições atuais, que podem não ser precisas. Estas declarações não são garantias e estão sujeitas a riscos, incertezas e variações em circunstâncias que são difíceis de prever. Muitos fatores podem fazer com que os resultados reais sejam material e adversamente diferentes destas declarações admonitórias. Entre esses fatores estão os riscos relacionados com: (1) a pandemia da COVID-19 e ações governamentais relacionadas, inclusive com relação a nossas operações, nossa liquidez e acesso a financiamento, a saúde de nossos clientes e fornecedores e a demanda futura por nossos produtos e serviços; (2) o 737 MAX, incluindo o cronograma e as condições das aprovações regulamentares do 737 MAX, atrasos na retomada da produção, taxas de produção e / ou taxas de entrega inferiores às planejadas e considerações mais amplas para clientes e fornecedores, (3) condições gerais da economia e do nosso setor, inclusive aquelas devidas a mudanças regulatórias; (4) nossa confiança em nossos clientes de companhias aéreas comerciais; (5) saúde geral do nosso sistema de produção de aeronaves, aumentos de taxa de produção planejada em vários programas de companhias aéreas comerciais, o nosso desenvolvimento comercial e programas de aeronaves derivativos, e nossas aeronaves estarem sujeita a padrões rigorosos desempenho e confiabilidade; (6) alteração dos níveis de orçamento e apropriação e prioridades de aquisição do governo dos EUA; (7) a nossa dependência de contratos com o governo dos EUA; (8) a nossa dependência dos contratos de preço fixo; (9) a nossa dependência dos contratos de tipo de custo; (10) incertezas relativas aos contratos que incluem pagamentos de incentivos em órbita; (11) a nossa dependência dos nossos terceirizados e fornecedores, bem como a disponibilidade de matérias-primas; (12) variações nas estimativas contábeis; (13) mudanças no cenário competitivo em nossos mercados; (14) nossas operações fora dos EUA, incluindo as vendas para clientes fora dos EUA; (15) ameaças à segurança de nossas informações ou de nossos clientes; (16) desenvolvimentos adversos possíveis em litígios novos ou pendentes e / ou investigações governamentais; (17) concentração de clientes e aeronaves em nossa carteira de financiamento a clientes; (18) mudanças em nossa capacidade de obter dívida em termos comercialmente razoáveis e com preços competitivos; (19) alcançar os benefícios antecipados de fusões, aquisições, joint ventures / alianças estratégicas e alienações; (20) a adequação da cobertura de seguro para cobrir exposições a riscos significativos; (21) possíveis interrupções nos negócios, incluindo as relacionadas com ameaças à segurança física, tecnologia da informação ou ataques cibernéticos, epidemias, sanções ou desastres naturais; (22) paralizações do trabalho ou outras interrupções de mão de obra; (23) obrigações substanciais com benefícios de pensão substancial e outros benefícios pós-aposentadoria; e (24) possíveis reponsabilidades ambientais.
    Informações adicionais sobre esses e outros fatores podem ser encontrados em nossos arquivos junto à SEC, incluindo nosso mais recente Relatório Anual no Formulário 10-K, relatórios trimestrais no Formulário 10-Q e os Relatórios Atuais no Formulário 8-K. Qualquer declaração admonitória tem valor apenas a partir da data em que é feita, e não assumimos nenhuma obrigação de atualizar ou revisar qualquer declaração admonitória, seja como resultado de novas informações, eventos futuros ou outros, exceto conforme exigido por lei.
    Contato:
    Ana Paula Ferreira: (11) 97572-1673;ana.p.ferreira@boeing.com

    The Boeing Company e Subsidiárias
    emonstrações Consolidadas de Operações
    (Não auditadas)
    Três meses encerrados em
    31 de março
    (Em milhões de dólares, exceto dados por ação)20202019
    Vendas de produtos $14,191 $20,225
    Vendas de serviços 2,717 2,692
    Total de Receitas 16,908 22,917
    Custo dos produtos (14,713) (16,238)
    Custo dos serviços (2,043) (2,389)
    Despesa de juros da Boeing Capital (12) (18)
    Total de custos e despesas (16,768) (18,645)
    140 4,272
    (Lucro / prejuízo de investimentos operacionais, líquido (2) 20
    Despesas gerais e administrativas (873) (1,184)
    Despesas com Pesquisa e desenvolvimento, líquido (672) (866)
    Ganhos com alienações, líquido 54 108
    (Prejuízos) / Lucros de operações (1,353) 2,350
    Outras receitas líquidas 112 106
    Juros e encargos da dívida (262) (123)
    (Prejuízos) / Lucros antes do imposto de renda (1,503) 2,333
    Despesa / benefício com imposto de renda 862 (184)
    (Prejuízos) / Lucros Líquidos ($641) $2,149
    Prejuízo: prejuízo líquido atribuível a participação minoritária ($13)
    (Prejuízos) / Lucros Líquidos atribuíveis a acionistas da Boeing ($628) $2,149
    Prejuízos) / Lucros por ação básicos ($1.11) $3.79
    (Prejuízos) / Lucros por ação diluídos ($1.11) $3.75
    Média ponderada de ações diluídas (Milhões) 565.9 572.4

    The Boeing Company e Subsidiárias
    Demonstrações Consolidadas de Posição Financeira
    (Não auditadas)
    (Em milhões de dólares, exceto dados por ação)31 de março
    2020
    31 de dezembro de
    2019
    Ativos
    Caixa e equivalentes de caixa $15,039 $9,485
    Curto prazo e outros investimentos 488 545
    Contas a receber, líquidos 3,211 3,266
    Recebíveis não faturados, líquidos 9,365 9,043
    Parte atual de financiamento ao cliente, líquidos 149 162
    Estoques 80,020 76,622
    Outros ativos atuais 2,739 3,106
    Total de ativos atuais 111,011 102,229
    Financiamento a clientes, líquido, net 2,116 2,136
    Propriedade, planta e equipamento, deduzida depreciação acumulada de US$19,591 e US$19,342 12,405 12,502
    Goodwill 8,057 8,060
    Ativos intangíveis adquiridos, líquido 3,256 3,338
    Imposto de renda diferido 678 683
    Investimentos 1,124 1,092
    Outros Ativos, deduzida amortização acumulada de US$611 e US$580 4,428 3,585
    Total de ativos $143,075 $133,625
    Passivo e patrimônio líquido
    Contas a pagar $14,963 $15,553
    Passivos acumulados 21,483 22,868
    Adiantamentos e faturamento acima de custos relacionados 52,883 51,551
    Dívida de curto prazo e parcela atual da dívida de longo prazo 5,173 7,340
    Total do passivo circulante 94,502 97,312
    Imposto de renda diferido 336 413
    Plano de saúde de aposentado acumulado 4,483 4,540
    Passivo de plano de pensão acumulado, líquido 15,962 16,276
    Outros passivos de longo prazo 3,398 3,422
    Dívida de longo prazo 33,754 19,962
    Patrimônio líquido:
    Ações ordinárias, valor nominal US$5.00 – 1,200,000,000 Ações autorizadas; 1,012,261,159 ações emitidas 5,061 5,061
    Capital realizado adicional 6,595 6,745
    Ações em tesouraria, a custo - 447,947,807 e 449,352,405 ações (54,842) (54,914)
    Lucros acumulados 49,854 50,644
    Outros prejuízos abrangentes acumulados (16,333) (16,153)
    Total de Patrimônio líquido de acionistas (9,665) (8,617)
    Participações minoritárias 305 317
    Total do patrimônio líquido (9,360) (8,300)
    Total do passivo e patrimônio líquido $143,075 $133,625

    The Boeing Company e Subsidiárias
    Demonstrações Consolidadas de fluxos de caixa
    (Não auditadas)
    Três meses encerrados em
    31 de março
    (Em milhões de dólares)20202019
    Fluxos de caixa – atividades operacionais:
    (Prejuízos) / Lucros Líquidos ($641) $2,149
    Ajustes para reconciliar o Lucro Líquido com o caixa líquido gerado pelas atividades operacionais:
    Itens que não geram caixa – 
    Despesa de planos baseados em ações 55 47
    Depreciação e amortização 556 521
    Investimentos / encargos de depreciação de ativos, líquido 26 34
    Benefício de valorização de financiamento a clientes 249
    Ganhos de alienação, líquido (54) (108)
    Outros débitos e créditos, líquido 97 74
    Mudanças em Ativos e passivos – 
    Contas a receber (54) 206
    Recebíveis não faturados (402) (183)
    Adiantamentos e faturas progressivas 1,337 1,857
    Estoques (2,973) (2,725)
    Outros ativos circulantes 328 164
    Contas a pagar (1,030) 1,624
    Passivos acumulados (583) (919)
    Imposto de renda a receber, a pagar e diferido (892) 116
    Outros passivos de longo prazo (69) (281)
    Pensão e outros planos pós-aposentadoria (179) (188)
    Financiamento a clientes, líquido 23 152
    Outros 153 (1)
     Caixa líquido gerado / (usado) pelas atividades operacionais (4,302) 2,788
    Fluxos de Caixa – atividades de investimento:
    Adições de propriedade, planta e equipamentos (428) (501)
    Reduções de propriedade, planta e equipamentos 58 110
    Aquisições, líquidas de caixa adquiridas (276)
    Contribuições para investimentos (244) (457)
    Receitas de investimentos 227 366
    Outros 8 (9)
    Caixa líquido usado por atividades de investimento (1,530) (767)
    Fluxos de Caixa – atividades de financiamento:
    Novos empréstimos 17,433 5,237
    Reembolso de dívida (5,854) (4,374)
    Contribuições de participações minoritárias 7
    Opções de ações exercidas 21 42
    Impostos dos funcionários para determinadas regras de pagamento baseadas em ações (162) (233)
    Ações ordinárias recompradas (2,341)
    Dividendos pagos (1,158) (1,161)
     Caixa líquido gerado / (usado) por atividades de financiamento 10,280 (2,823)
    Efeito de mudanças de taxa de câmbio no Caixa e equivalentes de caixa, incluindo restrições (47) 1
    (Redução) / aumento líquido de caixa e equivalentes de caixa, incluindo restrições 5,552 (801)
    Caixa e equivalentes em caixa, incluindo restrições, no início do ano 9,571 7,813
    Caixa e equivalentes em caixa, incluindo restrições, no final do período 15,123 7,012
    Caixa e equivalentes em caixa menos restritos, incluídos em Investimentos 84 176
    Caixa e equivalentes em caixa no final do período $15,039 $6,836

    The Boeing Company e Subsidiárias
    Resumo de dados por segmento de negócios
    (Não auditados)

    A partir do início de 2020, certos programas foram realinhados entre nosso segmento de Defesa, Espaço e Segurança e itens não alocados, eliminações e outros. Os dados por segmento de negócios para 2019 foram ajustados para refletir o realinhamento.

    Três meses encerrados em
    31 de março
    (Em milhões de dólares)20202019
    Receitas:
    Aviões Comerciais $6,205 $11,822
    Defesa, Espaço e Segurança 6,042 6,587
    Global Services 4,628 4,619
    Boeing Capital 65 66
    Itens não alocados, eliminações e outros (32) (177)
    Total Receitas $16,908 $22,917
    (Prejuízos) / Lucros de operações:
    Aviões Comerciais ($2,068) $1,173
    Defesa, Espaço e Segurança (191) 852
    Global Services 708 653
    Boeing Capital 24 20
    (Prejuízo) / Lucro operacional por segmento (1,527) 2,698
    Itens não alocados, eliminações e outros (173) (712)
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS 347 364
    (Prejuízos) / Lucros de operações (1,353) 2,350
    Outras receitas líquidas 112 106
    Juros e encargos da dívida (262) (123)
    (Prejuízos) / Lucros antes do imposto de renda (1,503) 2,333
    Despesa / benefício com imposto de renda 862 (184)
    (Prejuízos) / Lucros Líquidos ($641) $2,149
    Prejuízo: prejuízo líquido atribuível a participação minoritária (13)
    (Prejuízos) / Lucros Líquidos atribuíveis a acionistas da Boeing (628) 2,149
    Despesa / benefício com imposto de renda
    Aviões Comerciais $425 $564
    Defesa, Espaço e Segurança 163 184
    Global Services 30 40
    Outros 54 78
    Total de despesa com pesquisa e desenvolvimento, líquido $672 $866
    Itens não alocados, eliminações e outros:
    Planos baseados em ações ($18) ($14)
    Compensação diferida 193 (102)
    Amortização de juros anteriormente capitalizados (23) (24)
    Perda de financiamento do cliente (250)
    Despesa com pesquisa e desenvolvimento, líquida (54) (78)
    Eliminações e outros itens não alocados (271) (244)
    Subtotal (incluído no Lucro operacional principal) (173) (712)
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS de pensão 255 274
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS de pós-aposentadoria 92 90
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS 347 364
    Total $174 ($348)

    The Boeing Company e Subsidiárias
    Dados operacionais e financeiros
    (Não auditadas)
    DeliveriesTrês meses encerrados em
    31 de março
    Aviões Comerciais20202019
    737 5 89
    747 2
    767 10 12
    777 (1) 6 10
    787 29 36
    Total 50 149
    Nota: Aeronaves contabilizadas como receitas pela BCA e como locações operacionais em consolidação identificadas por parênteses
    Defesa, Espaço e Segurança
    AH-64 Apache (Nova) 2 6
    AH-64 Apache (Remanufaturado) 14 22
    C-17 Globemaster III
    C-40A
    CH-47 Chinook (Novo) 9 7
    CH-47 Chinook (Reformado) 1 4
    Modelos F-15 4
    Modelos F/A-18 5 7
    KC-46 Tanker 5 7
    Modelos P-8 3 3
    Satélites Comerciais e Civis
    Satélites Militares
    Total de Carteira de Pedidos (Em milhões de dólares)31 de março
    2020
    31 de dezembro de
    2019
    Aviões Comerciais $351,778 $376,593
    Defesa, Espaço e Segurança 63,578 63,691
    Global Services 22,747 22,902
    Itens não alocados, eliminações e outros 491 217
    Total de Carteira de Pedidos $438,594 $463,403
    Carteira de pedidos contratuais $414,165 $436,473
    Carteira de pedidos não designados 24,429 26,930
    Total de Carteira de Pedidos $438,594 $463,403

    The Boeing Company e Subsidiárias
    Reconciliação de medidas Não-GAAP
    (Não auditadas)
    As tabelas fornecidas abaixo conciliam as medidas financeiras Não-GAAP para (Prejuízos)/Lucros operacionais principais, Margem Operacional Principal, e (Prejuízos)/Lucros por ação principais com as medidas financeiras GAAP mais diretamente comparáveis, Prejuízos) / Lucros de operações, Margem operacional, e (Prejuízos) / Lucros por ação diluídos. Consulte a página 6 deste comunicado para obter informações adicionais sobre o uso destas medidas financeiras Não-GAAP

    (Em milhões de dólares, exceto dados por ação)Primeiro Trimestre 2020Primeiro Trimestre 2019
    US$ milhõesPor açãoUS$ milhõesPor ação
    Receitas 16,908 22,917
    (Prejuízos) / Lucros de operações (GAAP) (1,353) 2,350
    Margem Operacional (GAAP) (8.0)% 10.3%
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS:
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS de pensão (255) (274)
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS de pós-aposentadoria (92) (90)
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS (347) (364)
    (Prejuízos)/Lucros operacionais principais (Não-GAAP) ($1,700) $1,986
    Margem Operacional principal (Não-GAAP) (10.1)% 8.7%
    Diluted (Prejuízos) / Lucros por ação (GAAP) ($1.11) $3.75
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS de pensão ($255) (0.45) ($274) (0.48)
    Ajuste de custo de serviço FAS/CAS de pós-aposentadoria (92) (0.16) (90) (0.16)
    Despesa de pensão não operacional (87) (0.16) (93) (0.16)
    Despesa de pós-aposentadoria não operacional 13 0.02 27 0.05
    Provisão para imposto de renda diferido sobre ajustes (1) 88 0.16 90 0.16
    Subtotal de ajustes ($333) ($0.59) ($340) ($0.59)
    (Prejuízos) / Lucros por ação principais (Não-GAAP) ($1.70) $3.16
    Média ponderada de ações diluídas (em milhões) 565.9 572.4
    (1) impacto do imposto de renda é calculado usando a alíquota de imposto estatutário corporativo dos EUA.

    Fonte: Boeing