• Declaração Da Boeing Sobre O Relatório Preliminar Da Investigação Do Voo 302 Da Ethiopian Airlines

    4 de abril de 2019 - A Boeing emitiu a seguinte declaração a respeito da divulgação do relatório preliminar de investigação do vôo 302 da Ethiopian Airlines pelo Ethiopian Accident Investigation Bureau (AIB – Departamento de Investigação de Acidentes da Etiópia) realizada hoje.

    "Gostaria de reiterar nossas mais profundas condolências às famílias e entes queridos daqueles que perderam suas vidas no acidente", disse o presidente e CEO da Boeing Aviação Comercial, Kevin McAllister. “Agradecemos ao Departamento de Investigação de Acidentes da Etiópia pelo seu trabalho árduo e esforços contínuos. Compreender as circunstâncias que contribuíram para este acidente é fundamental para garantir a segurança de voo. Analisaremos cuidadosamente o relatório preliminar da AIB e tomaremos todas e quaisquer medidas adicionais necessárias para melhorar a segurança de nossas aeronaves”.

    A segurança é um valor fundamental para todos na Boeing e a segurança de nossos aviões, dos passageiros e tripulações é sempre nossa principal prioridade. Os especialistas técnicos da Boeing continuam ajudando nesta investigação e as equipes da empresa estão trabalhando para abordar as lições aprendidas com o acidente do voo 610 da Lion Air, em outubro.

    O relatório preliminar contém informações do gravador de dados de voo indicando que o avião recebeu uma entrada errônea do sensor de ângulo de ataque que ativou a função MCAS (Sistema de Aumento das Características de Manobra) durante o voo, como ocorreu durante o voo 610 da Lion Air.

    Para garantir que a ativação involuntária do MCAS não ocorra novamente, a Boeing desenvolveu e planeja lançar uma atualização do software para o MCAS e um programa abrangente de treinamento para pilotos e um treinamento complementar para o 737 MAX.

    Conforme anunciado anteriormente, a atualização acrescenta camadas adicionais de proteção e impedirá que dados errôneos provoquem a ativação do MCAS. As tripulações de voo sempre terão a capacidade de sobrepor-se ao MCAS e controlar manualmente o avião.

    A Boeing continua trabalhando com a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) e outras agências reguladoras em todo o mundo no desenvolvimento e na certificação da atualização do software e no treinamento.

    A Boeing também continua trabalhando em estreita colaboração com o Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA (NTSB) no papel de consultores técnicos em apoio à investigação da AIB. Como uma parte que presta assistência técnica sob a orientação das autoridades investigadoras, a Boeing não tem autorização, por meio de um protocolo internacional e regulamentos da NTSB, de divulgar qualquer informação relacionada à investigação. De acordo com o protocolo internacional, as informações sobre a investigação são fornecidas apenas pelas autoridades investigadoras encarregadas.