• Declaração da Boeing sobre o Alerta de Desacordo do 737 MAX

    29 de abril de 2019 - Queremos dar uma resposta a várias notícias de ontem e hoje sobre o alerta de desacordo no 737 MAX.

    A Boeing incluiu o alerta de desacordo como um recurso padrão no MAX, embora este alerta não tenha sido considerado um recurso de segurança em aviões e não seja necessário para a operação segura do avião. A Boeing não desativou intencionalmente ou de outra forma o alerta de desacordo em seus aviões MAX.

    O alerta de desacordo pretendia ser um recurso padrão e autônomo nos aviões MAX. No entanto, o alerta de desacordo não estava em operação em todos os aviões porque o recurso não foi ativado como pretendido.

    O alerta de desacordo foi vinculado ao indicador do ângulo de ataque, que é um recurso opcional no MAX. A menos que uma companhia aérea optasse pelo indicador de ângulo de ataque, o alerta de desacordo não estaria em operação.

    Em todos os aviões entregues aos nossos clientes, incluindo o MAX, todos os dados e informações de voo necessários para operar com segurança a aeronave são fornecidos na cabine de pilotagem e no display da cabine de pilotagem. Estas informações estão facilmente acessíveis aos pilotos e sempre estiveram.

    Os displays de velocidade do ar, atitude e altitude, juntamente com o stick shaker (vibração nos comandos), são os principais indicadores de informação de voo na cabine de pilotagem. Todas as ações de piloto recomendadas, listas de verificação e treinamento são baseadas nesses indicadores primários, e não no alerta de desacordo do AOA ou no indicador de ângulo de ataque.

    À medida que o MAX retorna ao ar com segurança após as modificações de software serem aprovadas e certificadas, todas as aeronaves de produção MAX terão um alerta de desacordo ativado e operável, e um indicador opcional de ângulo de ataque. Todos os clientes com aviões MAX fornecidos anteriormente terão a capacidade de ativar o alerta de desacordo por meio de um boletim de serviço para as companhias aéreas.

    Estamos confiantes de que quando o MAX voltar aos céus, ele será um dos aviões mais seguros em voo.