• GOL Linhas Aéreas marca um golaço com a entrega da 75ª aeronave 737 Next Generation

    ‘Sonho de família’ torna-se uma frota de quase 130 737s

    06 de março 2013

    Paula Caldas

    Representantes da Gol Linhas Aéreas, maior companhia aérea de baixo custo e maior operadora de 737s da América Latina , estiveram em Seattle  no final de fevereiro para receber a 75ª aeronave 737 Next-Generation da companhia. A GOL opera uma frota de quase 130 aeronaves 737 Next-Generation, entre próprias ou em regime de leasing.

    “Em nome dos mais de 15.000 funcionários da GOL, é um prazer imenso receber nossa 75ª aeronave 737 Next-Generation”, disse Paulo Kakinoff, CEO da GOL Linhas Aéreas Inteligentes, em carta aos funcionários do programa 737. “O que começou como um sonho de família e uma frota de quatro aeronaves cresceu e é hoje uma frota de mais de 100 aeronaves 737. Esse tipo de sucesso não acontece sem confiança e uma forte parceria,” completou.

    A GOL foi fundada em 2000, e começou a operar em janeiro de 2001.

    “Nos últimos 12 anos, a GOL tem sido uma força-motriz no mercado brasileiro de aviação e em toda a América Latina”, disse Van Rex Gallard, vice-presidente de vendas para a América Latina, África e Caribe da Boeing Aviação Comercial. “A GOL foi pioneira no bem-sucedido modelo de baixo custo que vemos hoje na América Latina, e temos orgulho em ser sua parceira. Estamos ansiosos para celebrar muitos outros anos de sucesso e conquistas dessa parceria," acrescentou.

    Com um modelo de negócios de baixo custo e tarifas econômicas, a GOL tornou as viagens aéreas acessíveis ao brasileiro e sul-americano médio. Dentre os passageiros da companhia, um número expressivo nunca tinha viajado de avião antes. Hoje, a companhia voa para 62 destinos domésticos e internacionais, em 13 países, totalizando cerca de 900 decolagens por dia.

    A aeronave 737 entregue é a 75ª da frota da GOL, mas a companhia aérea tem planos ainda mais ambiciosos. No final do ano passado, Kakinoff assinou uma encomenda de 60 aeronaves 737 MAX, uma decisão que faz parte da estratégia da companhia aérea de continuar operando uma das frotas mais novas e eficientes da América Latina.